Como produzir conteúdo para seu curso online?

A estátua de Drummond em plena Zona Sul do Rio de Janeiro, de frente para o mar, seria tão impensável quanto a Rosa de Hiroshima divulgada por Luan Santana. A produção de conteúdo e Cursos online sofre hoje em dia!

Carlos Drummond de Andrade fez uma live para divulgar seu novo poema: “Rosa de Hiroshima”. O seu último sucesso, “E agora, José?”, divulgado pelo cantor Sertanejo o lançou para glória. Machado de Assis, negro, muito magro, meio fanho, ainda não conseguiu lançar “Dom Casmurro”. O Youtube não é o forte dele. Nunca sabermos se Capitu traiu Bentinho. Já imaginou se os grandes personagens de época tivessem nascido hoje em dia? Dependeriam do Youtube e um rosto bem apessoado para vender seus conteúdos! Produzir conteúdo para cursos online ou obras literárias seria horrível. O trabalho de inserir palavras chave no meio dos textos teria que ser realizado em cada obra.

E agora, José?

quando o futuro enxerga o passado

Produzir Conteúdo para cursos online, atualmente, pode ser um místico confuso entre o puro entretenimento e a qualidade do conteúdo. A confusão de açúcares fez da internet uma banheira de Nutela e muitos se arriscam a tomar deste banho. Afinal, é preciso vender.

Então, primeiramente, sugiro aos Senhores a simples separação do conteúdo do setor comercial. Creio já ter comentado detalhadamente sobre todas as fases da criação de um curso online neste post. Separando o setor comercial da produção do curso ficamos livres da diabetes, pelo menos.

Como criamos conteúdo para nossos cursos online? À moda antiga: o papel. O nosso conteúdo precisa estar posto no papel, em textos. O prazer da escrita e da leitura não pode ser abandonado, ainda que os memes insistam em poluir o Twitter! Ensinar passa pela escrita, pesquisa, ouvir e ler opiniões diferentes.

Talvez alguém careça de inspiração sobre o tema que deseja ensinar. Recorramos aos ensinamos de Michael Porter, no livro “a estratégia competitiva das nações”. Este profeta do empreendedorismo nos ensina a nos enxergarmos através do concorrente. Exato: olhe para seu concorrente para saber quem é você na fila do pão. Os antigos são mais sábios. Saia de sua bolha e veja o conteúdo de outros sobre o tema que deseja ensinar. Longe de “copiar”, mas perto de “construir conhecimento”.

Excelente: seu conteúdo foi escrito! A segunda fase é escolher o objeto educacional que vai expressar seu conteúdo. Considere as suas habilidades e seu público alvo. O público alvo é quem vai consumir sua obra. Texto rebuscado não é para crianças, logo, este post não é para qualquer um. Então, se seu curso é “contação de histórias”, por exemplo, considere um objeto educacional que abuse de cores, interações com seus alunos. Animações SCORM ou vídeos são bem vindos. Neste momento você não pode cometer o erro do Machado de Assis do início deste post!! Usou a mídia errada e nunca fez sucesso!

Cada vez melhor! Chegamos à terceira fase da produção de seu curso online. Seu curso já tem um ótimo texto e você já escolheu a melhor forma de apresentá-lo (vídeos, apostila bem desenhada com fontes grandes ou animações SCORM, Prezi ou ainda outros formatos). A hora de vender se agiganta!

O mistério da venda de cursos online chegará em outro post, em outro dia, outra hora. Quem saberá o segredo da Matrix?

Alessandro Marlos é produtor de conteúdo para cursos online e engenheiro da GlobalEAD – CEO das Plataformas de Ensino a Distância desta empresa – fale comigo aqui.

Quer ajuda para produzir seus cursos online? Fale conosco!!!

criamos cursos online sob demanda
Aguardamos você 🙂

Deixe um comentário